terça-feira, 20 de junho de 2017

A matemática do amor

     Será que nunca desenvolveram uma fórmula para prever se um relacionamento vai dar certo ou não? Uma equação matemática que prevê o destino do amor foi criada há mais de 20 anos pelo psicólogo John Gottman em colaboração com o matemático James Murray.

     Eles começaram estudando absolutamente tudo que rola enquanto um casal briga. Com isso, o psicólogo e o matemático atribuíram um número para cada emoção demonstrada e encontraram os casais testados 6 anos depois para saber se seus cálculos estavam corretos. Além disso, eles queriam encontrar um jeito de prever quais casais iriam se separar olhando só para uma conversa entre eles.

     Uma pista eram os sinais fisiológicos: mesmo quando aparentavam calma, os casais que se separaram no futuro já tinham corações mais acelerados, pressão mais alta e suavam mais durante as entrevistas sobre seus parceiros.
     Eles encontraram a resposta em um modelo matemático de equações diferenciais não-lineares. O nome e os cálculos podem ser complicados, mas a explicação é simples. No caso da esposa, a fórmula é essa:

     O resultado da conta vai prever qual será a próxima atitude da esposa durante a conversa, logo depois que o marido terminar de falar (t+1).
     Com esse resultado, você calcula a próxima atitude e a seguinte, até poder prever como a conversa vai terminar. Esses número geram um gráfico. E aí resta ver se esse casal se parece mais com os gráficos de baixo risco (com reações mais positivas que negativas) ou de alto risco (espiral de negatividade)

Se gostaria de saber mais como funciona a fórmula e como foram os experimentos clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário